>

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Rosácea (couperose) pt.2| Cosméticos e maquilhagem


Lidar com a rosácea pode não ser fácil, e muitas vezes implica mesmo a consulta de um dermatologista que diagnostique o problema e prescreva produtos cosméticos adequados, medicamentos ou até tratamentos estéticos.

No entanto, se na escolha dos produtos que usa no dia-a-dia forem tidos em conta alguns cuidados a vermelhidão pode ser minimizada e a pele ganhará conforto.

A rotina que se segue poderá ajudar a atenuar o problema:

1.
Limpeza

A limpeza de todo o rosto é muito importante para eliminar restos de maquilhagem, poeiras, células mortas e oleosidade. Mas tratando-se de uma pele especialmente sensível é necessário ter uma atenção extra na escolha destes produtos

Em momento algum um produto de limpeza para pele com rosácea deve fazer espuma, ou deixar a pele completamente desidratada depois do enxaguamento. Pelo contrário, estes devem conter preferencialmente tensioativos não iónicos, ingredientes responsáveis pela limpeza e que são particularmente delicados para a pele. Há inúmeros tensioativos que se enquadram nesta classificação, com nomes e características variadas, que são usados principalmente em produtos de limpeza para pele sensível.

Para além da escolha dos produtos deve ter igualmente atenção na forma como o rosto é limpo. A água deve estar a uma temperatura morna, a tender para o frio, e não é aconselhável esfregar a pele ao lavar ou secar.

(Homens)
Barbear

Para os homens que sofrem com este problema, o barbear pode tornar-se uma grande dor de cabeça... Nesse caso, talvez seja mais indicado trocar a lâmina descartável por uma máquina de barbear que será menos irritante

No final devem ser evitados after-shaves e outros produtos adstringentes que são particularmente sensibilizantes.


2.
Hidratação

A hidratação é particularmente importante para quem sofre de rosácea, já que muitas vezes estas pessoas sofrem também de pele seca.

Em qualquer dos casos, e até se a sua pele tende até a ser oleosa na zona T, o reforço da hidratação reforça a barreira que protege a pele das substâncias irritantes vindas do exterior.

Há já hidratantes formulados para pele sensível e com tendência para a vermelhidão adequados tanto para as peles secas como para as oleosas. Neste caso, é mais comum que os encontre na farmácia.


Se tivermos em conta que a radiação solar é um dos principais inimigos da rosácea é fácil compreender a importância do uso de protetor solar no dia-a-dia, independentemente de ser Verão ou Inverno e estar ou não estar sol. O protetor deverá ter um fator de proteção solar (FPS) mínimo de 30, e ser adequado para pele sensível

Neste caso, e se a pele fica sensibilizada com grande parte dos protetores solares que já experimentou, são mais indicados os produtos contendo apenas filtros físicos, como o dióxido de titânio ou o óxido de zinco. Atualmente, e graças à nanotecnologia, estes produtos já não são tão pastosos nem deixam a pele branca. Além disso, os protetores contendo silicones como o dimethicome ou cyclomethicone em vez de ingredientes oleosos podem ajudar a que estes produtos se tornem ainda mais agradáveis, sem o risco de sensibilizar a pele.

Se for necessário vale mesmo a pena investir um pouco mais num protetor agradável ao ponto de se sentir à vontade para usar todos os dias...

(Quando receitada)
Medicação

Em alguns casos, o dermatologista pode mesmo achar necessário recorrer a medicamentos para controlar a inflamação cutânea. Se isso acontecer, é importante garantir que após a aplicação o medicamento é completamente absorvido pele pele antes de aplicar um novo produto.

É comum serem receitados o ácido azelaico ou o metronidazol para a aplicação tópica, uma vez que reduzem a inflamação face aos agentes sensibilizantes. A brimodinina poderá minimizar o aspeto dos vasos dilatados.

Pode mesmo ser necessário o tratamento por via oral, que pode ser feito com antibióticos, como a doxiciclina da classe das tetraciclinas, mas também com a isotretinoína, vulgarmente usada no tratamento da acne.


(Opcional)
Esfoliação

Este passo pode tornar-se mais complicado para quem sofre de rosácea, mas ainda assim existem boas soluções!

Por um lado os produtos esfoliantes contendo apenas partículas para esfoliação mecânica são agressivos demais, contribuindo para a vermelhidão. Por outro, os produtos de ação química podem tornar-se igualmente irritantes quando as concentrações de alfa-hidroxiácidos (ácido glicólico, ácido lático ou ácido málico) ou ácido salicílico são demasiado elevadas.

O mais seguro será começar por experimentar um produto direccionado para pele sensível contendo ácido salicílico, que tem também alguma ação anti-inflamatória, e evitar esfregar a pele no caso deste conter partículas visíveis.

Se conseguir tolerar esta esfoliação faça-a no máximo 2 vezes por semana ou com menos frequência, consoante a reação da pele.

(Opcional)
Maquilhagem

A maquilhagem é uma grande aliada para disfarçar este problema.
No entanto os produtos à prova de água, pós muito pigmentados ou bases de grande cobertura, exigem desmaquilhantes que por vezes são mais irritantes ou uma grande fricção para remover.

Os corretores e primers de cor verde ajudam a neutralizar os tons vermelhos da pele, evitando a necessidade de usar bases mais pigmentadas para os disfarçar.

Por outro lado, pode ser interessante escolher uma base líquida ou em pó que contenha fator de proteção solar, e dessa forma reforce a função do protetor


Cuidados comuns a todos os produtos

  • De uma forma geral, quem sofre de rosácea deve evitar:
    • produtos adstringentes ou que contenham álcool (frequentes em tónicos ou produtos para a pele oleosa), 
    • sabões,
    • esfoliantes contendo partículas visíveis (a menos que não os use para friccionar o rosto) 
    • fragrâncias/perfumes (sobretudo eucalipto e mentol). Se se optar pela utilização de produtos com perfume, é necessário verificar se o perfume se encontra no fim da lista de ingredientes, pois deste modo o produto terá menor percentagem de fragrância.
  • rotina de cuidado da pele deve ser tão simples quanto possívelevitando ao máximo usar muitos produtos em simultâneo ou experimentar produtos novos. No entanto, quando precisar de comprar um produto novo com segurança e sem desperdiçar dinheiro pode sempre pedir amostras sempre que possível.
  • Por vezes pode ser necessário mudar a rotina de cuidados entre estações, consoante a pele se apresente mais ou menos seca.
  • Utilizar de elevada tolerância. Para se guiar, pode priveligiar produtos hipoalergénicos, que terão sido pensados e formulados de forma a reduzir ao máximo a probabilidade de desenvolver algum tipo de irritação ou reação alérgica
  • Muitas vezes são usados óleos de plantas aromáticas em produtos para peles secas e sensíveis. No entanto, muitas vezes esses óleos contêm também fragrâncias e outros compostos que podem sensibilizar a pele com facilidade. Por isso, também neste caso é interessante testar o produto usando primeiro uma amostra.

Sem comentários: