>

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Milia



Estes pequenos quistos são muito comuns nos bebés mas podem aparecer em todas as idades, sendo que na grande maioria dos casos não representam qualquer problema de pele. Nos adultos são mais comuns nas bochechas, ao redor das pálpebras, testa e nariz (especialmente em atópicos); podendo desaparecer espontaneamente ou persistir ao longo dos anos.


Ao contrário das borbulhas e pontos brancos, em que as glândulas sebáceas são preenchidas maioritariamente por sebo, estes quistos podem aparecer igualmente em glândulas sudoríparas (que libertam suor) e contêm principalmente queratina no seu interior. Esta proteína no interior torna-os mais duros e inflexíveis.
(Também sou filha de Deus... :p)
Nem sempre os quistos têm que ser tão grandes
Causas

Na maior parte dos casos, os quistos resultam da falta de capacidade de exfoliação da própria pele, e podem acontecer com maior ou menor frequência dependendo das características da pele de cada um.

Em situações mais raras, estes quistos podem seguir-se a traumas da pele, como queimaduras, dermoabrasão (procedimento estético), peelings com recurso a laser ou até como resultado de determinadas doenças cutâneas.


Prevenir

  • Limpar, hidratar e esfoliar
Uma rotina consistente que inclua limpeza, hidratação e esfoliação (com um tónico ácido e/ou esfoliante de ação química) deverá ser suficiente para permitir que as células mais velhas da superfície dêem lugar às células novas, evitando a acumulação de ambas as camadas. Isto será o suficiente para impedir que este tipo de lesões apareça em grandes dimensões ou em grande número para maioria das pessoas.

  • Utilizar hidratantes adequados
A desidratação, que afeta sobretudo as peles secas mas também as oleosas, compromete a capacidade de auto-esfoliação da pele acima mencionada.

Por outro lado, pensa-se que o uso de hidratantes demasiado "ricos" em ingredientes oleosos nas zonas onde os quistos aparecem mais regularmente possa dificultar este processo.

Assim, a pele do contorno dos olhos deve der hidratada com regularidade, mesmo não estando particularmente seca, recorrendo a produtos adequados para o tipo de pele.

Muitas pessoas defendem o uso de um creme específico para a zona do contorno dos olhos pode ajudar a evitar este problema, já que é suposto estes produtos serem mais leves do que os de rosto. Embora isto não seja completamente claro, se a sua pele tem uma grande tendência para desenvolver este tipo de quistos e já tem uma boa rotina de limpeza pode experimentar usar um produto destes.

Remover

Alguns dos quistos desaparecem passado algum tempo. Mas se estes não desaparecem espontaneamente é possível acelerar este processo esfoliando a pele regularmente com um esfoliante de ação química (ácido salicílico) e eventualmente também física (suave, nada de sementes de frutos ou outras partículas angulosas...).

  • Se ainda assim não notar melhorias...
Ou se os quistos estão muito próximos dos olhos talvez seja melhor consultar um dermatologista que poderá fazer a excisão ou usar outra técnica de remoção segura e indolor.

  • Caso faça questão de remover os quistos em casa

Não é aconselhável tentar espremer ou arrancar os quistos como se tratassem de borbulhas (e mesmo nessas este tipo de procedimento é desaconselhado), já que dificilmente fará alguma diferença. Por outro lado, há um grande risco de a pele infetar, ficar ferida ou irritada, podendo mesmo desenvolver-se cicatrizes.

No caso de não querer mesmo recorrer a um dermatologista e fazer questão de remover estes quistos em casa certifique-se que o faz com a pele limpa e desinfeta com álcool todos os instrumentos utilizados. Estes cuidados não diminuem o risco de desenvolver cicatriz mas podem prevenir uma infeção.

Sem comentários: