>

sábado, 15 de julho de 2017

Águas termais| Comparação da composição & estudos de eficácia


Como farmacêutica que trabalha diariamente junto de produtos cosméticos é óbvio que as aguas termais são uma constante no meu dia-a-dia. Geralmente são compradas com o intuito de "hidratar" e "acalmar" a pele, e confesso-vos que até agora pouco mais sabia acerca destes produtos.

Por isso, decidi estudar um pouco melhor as várias águas termais que podemos encontrar no mercado, enquadrando-as nas respetivas marcas, e nas aplicações para que cada uma delas já foi estudada.


O que são aguas termais?

As águas termais têm origem em nascentes, e caracterizam-se das restantes por ser microbiologicamente puras, ricas em oligoelementos, e por apresentarem potencial terapêutico.

As águas termais distinguem-se entre elas pela sua composição, que depende essencialmente das características geológicas do solo em que a água se encontra, da profundidade a que é armazenada.

Estás águas foram popularizadas na indústria cosmética em França, de onde são originárias as principais águas termais.


O que podemos encontrar no mercado

Existem várias águas termais para uso cosmético, sendo muitas delas provenientes de estações termais portuguesas.

No entanto, a maioria de nós tem acesso a poucas delas, e por isso irei falar-vos apenas daquelas águas que podem encontrar facilmente à venda em qualquer ponto do país, e para as quais existem já alguns estudos de eficácia.


  • Avène

Esta é água mais leve das cinco (resíduo seco), aquela que está melhor caracterizada do ponto de vista fisico-químico, e também aquela para a qual consegui encontrar mais estudos de eficácia.

De acordo com um outro estudo realizado pela marca, pensa-se que a sua baixa concentração em minerais seja a razão pela qual esta água é particularmente bem tolerada.

  • La Roche Posay

A água termal da La Roche Posay é reconhecida pelo seu conteúdo em selénio, um mineral essencial para o metabolismo celular e para o funcionamento dos mecanismos naturais de defesa antioxidante da pele, que por sua vez são responsáveis por manter a integridade das células, mas também por prevenir o seu envelhecimento precoce. 

Trata-se da segunda água mais leve de todas estas.

  • Uriage

A água mais pesada de todas estas, distinguindo-se pelo seu conteúdo em cálcio, magnésio, sulfatos; mas também pelo facto de ser isotónica. Apesar de ser uma água bastante mineralizada, sobretudo quando comparada com as restantes, só encontrei um estudo que indicasse que esta água poderá provocar uma maior sensação de picada, ainda que temporária e pouco intensa, além de conferir menor conforto do que as restantes. No entanto, é importante ressalvar que este estudo esse que foi realizado pela Avène.

  • Vichy

A água termal Vichy é a segunda mais mineralizada, sendo especialmente rica em sódio e bicarbonatos. Tal como a água termal Uriage, também no estudo realizado pela Avène a água Vichy mostrou causar uma maior sensação de "picada" e conferir menor conforto do que as restantes, alegadamente pela sua elevada mineralização.

Embora o nome desta água seja bastante associado às termas (quem nunca ouviu falar no duche Vichy?) esta foi a água para a qual tive mais dificuldade em encontrar estudos de eficácia.



Qual a mais interessante?

Infelizmente a maioria dos estudos publicamente divulgados não são realizados estudos em humanos, mas sim em células, e poucos deles se referem à utilização exclusiva da água termal, mas sim a tratamentos prolongados em estâncias termais. Além disso, existem poucos estudos comparativos entre água.

Assim, estas conclusões refletem quase exclusivamente os resultados dos estudos realizados pelos próprios fabricantes, e por isso permitem indicar apenas os potenciais benefícios que estas águas poderão ter quando utilizadas isoladamente, em formulações cosméticas, e em complemento a um tratamento farmacológico adequado.

Não pretendo de forma alguma mostrar que a água X é superior à água Y, até porque como já referi os dados são insuficientes para fazer esse tipo de comparação. No entanto, e se estiverem indecisos entre algumas destas águas, poderá ser um critério de desempate :)

  • Psoríase 

Embora os tratamentos de hidroterapia nas estâncias termais Avène, La Roche Posay e Uriage pareçam ser bastante interessantes no tratamento desta doença, não foi possível encontrar estudos que mostrassem o interesse do uso único da água termal.

  • Dermatite atopica 

Neste caso, existe alguma evidência para várias destas águas.

Existem 2 estudos estudos realizados em células que indicam que a água termal Avène tem uma ação positiva sobre as células do sistema imunitário associadas à dermatite atopica, além de um outro estudo (divulgado em póster, não publicado) com 210 participantes que verificou que a adição da água termal Avène à aplicação de um creme hidratante pode ajudar a melhorar a qualidade de vida de doentes com dermatite atópica.

Um estudo realizado células sugere que a água termal Uriage poderá reduzir o excesso de eosinófilos no tecido cutâneo ao verificar que a exposição destas células a uma concentração de 20% de água termal Uriage reduz a sua viabilidade. Os eosinófilos são células do sistema imunitário e estão frequentemente associados a doenças alérgicas, inclusivamente doenças cutâneas como a dermatite atópica. Paralelamente, ou outro estudo realizado em células sugere que esta água tem um efeito positivo sobre a flora bacteriana da pele, em especial sobre duas estirpes bacterianas associadas à dermatite atópica.

Curiosamente, um estudo que comparou a água termal Uriage com uma água fracamente mineralizada (como é a água termal Avène e a La Roche Posay) indica que a primeira terá uma maior capacidade de reforçar a barreira cutânea da pele atópica. Embora tenha procurado o estudo não o consegui encontrar, e por isso não sei se terá sido financiado por alguma marca.

  • Acne: gestão dos efeitos secundários do tratamento

Um estudo que contou com 69 participantes verificou que a aplicação da água termal Avène em conjunto com o ácido retinóico (tretinoína) é capaz de reduzir a descamação associada a este tratamento.

  • Pós-procedimeto 


Um estudo clínico duplo cego randomizado, que contou com 25 participantes, concluiu que a aplicação da água termal Avène ofereceu um alívio superior do que a água termal La Roche Posay após um tratamento de Terapia Fotodinâmica com ALA (ácido 5 -aminolevulínico ) tendo em conta os parâmetros da dor, eritema e prurido; quando percecionados pelo utente e pelo investigador. Este estudo foi realizado nos laboratórios da Avène.

Posteriormente um outro estudo testou os parâmetros dor, eritema e desidratação em 20 doentes cuja na pele sujeita laser fracionado, para tratamento do melasma bilateral, aplicando água termal Avène de um lado do rosto, e deixando a outra metade sem tratamento. Dez minutos após a aplicação desta água termal, a dor, secura cutânea e vermelhidão foram percepcionadas pelos doentes como sendo significativamente inferiores após a aplicação da água termal Avène.

  • Ação antioxidante e redutora da inflamação

Uma "categoria" ingrata, mas que me vi obrigada a criar pelo facto de todas as águas parecem apresentar algum benefício a estes níveis, e porque os estudos realizados por cada marca incidem sobre aspetos distintos da inflamação.

Tendo em conta os estudos realizados em células cutâneas, e que corroboram a o benefício da água termal La Roche Posay relativamente as defesas antioxidantes naturais da pele, esta água parece ser a mais interessante neste sentido.

Um outro estudo demonstrou que a presença desta água permite reduzir a atividade de algumas células responsáveis pela inflamação cutânea, facto que se atribui também ao conteúdo em selénio.

Talvez pelo seu conteúdo nestes minerais, a La Roche Posay apresenta também estudos realizados em células que sugerem a capacidade desta água em atenuar a inflamação cutânea após uma agressão química ou por incidência de radiação UV

Adicionalmente, o efeito benéfico sobre a capacidade antioxidante da própria pele que se observa para esta água pode estar também relacionado com o seu conteúdo em cobre e zinco, já que estes metais estão igualmente envolvidos nos mecanismos de defesa cutâneos contra os radicais livres.

Relativamente à água termal Avène, também um estudo realizado em células da epiderme demonstrou a capacidade desta água em reduzir a formação de radicais livres e atenuar a inflamação cutânea. Pensa-se que esta particularidade se deva ao seu conteúdo em zinco e em boro.

Para a água termal Uriage existe um estudo realizado em células que sugere a capacidade desta água em contrariar os efeitos de um dos principais mediadores da transmissão nervosa e de estímulos inflamatórios à superfície da pele. Pensa-se que este resultado se deva ao elevado conteúdo em sulfatos e cloretos desta água. Existem também estudos realizados em células com água termal Uriage que indicam uma ação positiva sobre a capacidade de cicatrização da pele.

Por último, um estudo realizado em células cutâneas que sugere que a água termal Vichy pode estimular a atividade de uma enzima antioxidante presente à superfície da pele, possivelmente graças ao seu conteúdo em carbonatos e sódio. No entanto, esta enzima (catalase) não é de todo a principal defesa das nossas células contra os radicais livres. 

Sem comentários: