>

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Estrias pt.1 | Como se formam e causas para o seu aparecimento


As estrias não são mais do que cicatrizes formadas na pele depois de esta ser esticada a um ritmo mais rápido do que aquele que as suas fibras demoram a se ajustar. Atualmente ainda não é possível removê-las por completo, mas já existem cosméticos e procedimentos médicos que podem atenuar o seu aspeto.

Embora as estrias afetem também os homens, as mulheres são claramente mais suscetíveis a sofrer deste problema. Além disso há fases da vida que propiciam o aparecimento destas lesões, o que pode facilitar a prevenção do seu aparecimento.


Como se formam?


A pele é um tecido elástico, e que por isso pode ser estendido quando as dimensões do nosso corpo se alteram. No entanto esta capacidade de distensão é limitada, e quando é ultrapassada resulta numa lesão cutânea. Esta lesão inicia-se na derme com a rotura das fibras de elastina e colagénio, e é seguida por uma reação inflamatória que dá o aspeto vermelho às estrias recentes.

Como consequência, as fibras de colagénio são reagrupadas tornado-se mais grossas e formando aglomerados mais densos e o aspeto da epiderme é igualmente alterado.

Estes processos resultam em lesões avermelhadas e perpendiculares ao sentido do estiramento, que em alguns casos podem ter algum volume.

Com o passar de alguns meses a inflamação diminui gradualmente, e as estrias tornam-se mais claras do que o tom da pele.

Causas

  • Alterações hormonais e/ou aumento do volume corporal
Na adolescência, o corpo sofre alterações hormonais e anatómicas que quando conjugadas aumentam significativamento o risco do aparecimento de estrias. 

No entanto, também é possível que estas lesões apareçam na idade adulta quando há um rápido ganho de volume corporal, que pode dever-se tanto ao aumento de massa gorda como de massa magra.


  • Gravidez
Pensa-se que a carga hormonal aquando da gravidez altere algumas características da pele, entre as quais a capacidade de adesão entre as fibras de colagéneo. Mas o maior crescimento da barriga e dos seios a partir do segundo semestre de gravizes contribui certamente para  o aparecimento de estrias.

Se não forem prevenicas, estas lesões podem afetar aproximadamente 90% das grávidas.


  • Uso prolongado de corticosteróides
O uso tópico destes fármacos por períodos prolongados pode levar à atrofia cutânea, e resultar no aparecimento de estrias nos locais de aplicação. Esta é uma das razões pelas quais este tipo de medicamento deve ser utilizado com acomselham médico.



Sem comentários: