>

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Inimigos da pele | Tabaco



Antes de mais, esta publicação não tem como objetivo julgar ou criticar quem fuma (se bem que pode ser um belo icentivo para quem quer deixar de o fazer...)

Mas a verdade é que dentro de cada cigarro está uma grande e complexa mistura de substâncias, na sua maioria nocivas para a saúde do organismo, e que afetam também a saúde da nossa pele.

Sabem de que forma?


  • Promove o aparecimento de pontos negros
Sobretudo se estiver associado a uma exposição solar desprotegida. Ambos os fatores provocam uma perda de elasticidade na pele do rosto, que resulta numa maior "abertura" dos poros. Estes por sua vez retêm mais sêbo, e assim formam pontos negros mais visíveis.

  • Altera a tonalidade da tez, e estimula a formação de manchas 
Não fumadora | Fumadora
Normalmente estes dois processos acontecem em paralelo, e por dois motivos diferentes.

Por um lado, o tabaco contém uma série de substâncias que promovem a glicação de proteínas da pele, um processo do qual resultam moléculas que lhe dão um tonalidade amarelada, e tornam a tez mais baça e acinzentada. Para além da pele, também a ponta das unhas, dedos da mão e a barba dos homens podem ficar com este aspeto.

Por outro lado, sabe-se também que a presença de nicotina na pele e de outras substâncias presentes no tabaco, quer venham do fumo libertado ou inalado, estimulam a síntese de melanina. Por sua vez, este aumento da produção de melanina na pele leva ao aparecimento de manchas de pigmentação, sobretudo em quem já tem tendência para pigmentar.

  • Acelera a perda de firmeza, aparecimento de rugas e pode alterar a estrutura do rosto
O impacto é tão grande que existe mesmo a expressão "rosto de fumador". Quem fuma há muitos anos tende a apresentar mais rídulas e rugas, especialmente em torno dos lábios  dos olhos. Também as zonas das bochechas e do queixo tendem a tornar-se enrugadas muito mais cedo do que nos não fumadores.

Tudo isto se deve a uma redução da síntese de novas fibras de colagénio, com um aumento simultâneo da destruição das fibras já existentes juntamente com as de elastina. O colagénio é a proteína responsável por manter a firmeza da pele, enquanto a elastina é responsável pela elasticidade (capacidade de voltar à forma anterior depois de tensionada).

Pensa-se também que o movimento de sucção repetido possa acentuar a perda de volume nas bochechas que ocorre naturalmente com a idade. O impacto é maior em quem já tem baixo peso.


  • Dificulta a cicatrização de feridas
Isto acontece porque a exposição contínua ao tabaco reduz a irrigação sanguínea na pele, provoca atrofia dos fibroblastos e reduz a capacidade de resposta do sistema imunitário.

Tudo isto contribui para que a cicatrização se dê mais lentamente, o que pode ser particularmente problemático para quem sofre de diabetes.

  • Aumenta a incidência de doenças de pele e do couro cabeludo
Alguns estudos mostram que existe uma associação positiva entre o tabagismo e a frequência/ severidade de manifestações de doenças como a acne, psoríase, alopécia ou pé diabético.

Sem comentários: