>

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Pele sensível pt.1| sinais, causas e tipos de sensibilidade

Sabe se a sua pele é sensível? Descubra aqui!

Regra geral, a pele sensível é aquela que reage de uma forma exagerada e desagradável a estímulos ambientais ou a produtos cosméticos.

Mas na verdade, não há forma restrita de definir a sensibilidade cutânea. Para cada pessoa que sofre deste problema, existem diferentes manifestações que podem ser:
  • Visíveis
    • vermelhidão, 
    • secura 
    • descamação
  • Sentidas apenas pelo próprio
    • comichão, 
    • ardor, 
    • sensação de repuxar,
    • desconforto
Normalmente, o rosto é a parte do corpo mais afetada, seguindo-se as mãos, couro cabeludo, zona genital, pés e pescoço.

Causas

  • Predisposição genética e estado de saúde
A pele sensível é frequentemente herdada sozinha, mas pode também aparecer como consequência de variadas doenças, sejam elas cutâneas ou não:
  • Asma e alergias
  • Psoríase
  • Dermatite seborreica
  • Vitiligo
  • Atopia
  • Rosácea
  • Variações hormonais
  • Outras

  • Idade, género, tipo e cor da pele
Peles claras e jovens tendem
a ser mais sensíveis.
A pele sensível parece ser mais prevalente em idades mais jovens, e em mulheres (talvez apenas por estarem mais expostas as cosméticos).

Por outro lado, as peles mais claras tendem a ser mais sensíveis do que as peles escuras.

A sensibilidade é também mais comum em peles secas, uma vez que neste caso a barreira protetora da pele contra o exterior está naturalmente comprometida. Da mesma forma, as peles mais finas facilitam a entrada de substâncias sensibilizantes.

Nas peles oleosas, a sensibilidade é relativamente menor. Mas quando existe, está associada ao desenvolvimento da acne

  • Clima
No Inverno, o frio, o vento e a redução da humidade atmosférica tendem a desidratar a pele, tornando-a mais sensível. Por outro lado, a exposição solar prolongada também pode ser agressiva, ou até mesmo contribuir para o aumento da sensibilidade a cosméticos (fotossensibilidade).

A exposição a ambientes poluídos e a ambientes com ar condicionado podem ser igualmente prejudiciais.

  • Estilo de vida
Uma alimentação em que haja consumo frequente de álcool, café e alimentos picantes pode exacerbar os sintomas de sensibilidade.

Também a higiene excessiva (sobretudo quando são usados sabonetes e sabões) ou o contacto diário com detergentes ou outros químicos pode ser prejudicial para a pele.

No caso de ter uma rotina diária desgastante, sofrer de depressão ou ansiedade pode ver também um aumento da sensibilidade cutânea.

Tipos de sensibilidade

A dermatologista Leslie Bauman divide a sensibilidade cutânea em 4 tipos. Por um lado, esta divisão é muito importante na escolha dos cosméticos que cada pessoa pode usar, por outro, há alguns tipos de sensibilidade que decorrem de patologias, e que precisam até de tratamento farmacológico.

Pode acontecer que mesma pessoa apresente mais do que um tipo de sensibilidade em simultâneo. Nesse caso, deve optar que produtos que satisfaçam as exigências da pele em ambos os sentidos.

  • Tipo acne
Quando o uso de cosméticos provoca o aparecimento de borbulhas passados alguns dias, seguindo-se o aparecimento de pontos negros e pontos brancos.

O aparecimento da acne em mulheres adultas pode estar relacionada com este tipo de sensibilidade e pode ser prevenido ou atenuado com o uso exclusivo de produtos "não comedogénicos".

    Rosácea
  • Tipo rosácea
Caracteriza-se pela vermelhidão, sensação de calor e aparecimento de borbulhas à superfície da pele.

Nem todas as pessoas que manifestam este tipo de sensibilidade sofrem de rosácea propriamente dita, que para além destes sintomas se caracteriza pelo aparecimento de talagiectasias, pequenos vasos sanguíneos visíveis à superfície da pele. 

  • Tipo queimar e repuxar
Neste caso, pode não haver qualquer aparência de sensibilidade (vermelhidão ou descamação) mas a própria pessoa sente a pele queimar, repuxar e alguma comichão

  • Tipo alérgico ou irritativo
É um tipo de sensibilidade abrange situações distintas em que pode haver descamação, vermelhidão, e prurido e por vezes podem mesmo formar-se vesículas, crostas e gretas seguidas do espessamento da pele
  • Reações alérgicas, em que há influência do sistema imunitário. Manifestam-se de forma muito particular, uma vez que cada pessoa apresenta alergia a diferentes substâncias
  • Reações de irritação, cujas substâncias que as desencadeiam têm potencial para irritar a pele de qualquer pessoa. Neste caso, a sensibilidade de cada uma e a quantidade de substância a que a pele é exposta determinam a gravidade dessa reação. 
Há casos em que a mesma pessoa sofre de ambos os tipos de reação a determinada substância.

Nas reações de irritação estes sintomas ocorrem em menos de 24h após a primeira exposição ao agente irritante. Já nas reações alérgicas, a reação ocorre entre 24 a 72h após a segunda exposição ao alergeno. 

Sabe-se também que as peles mais secas tendem a proteger as camadas mais profundas de forma menos eficaz, deixam-se atravessar mais facilmente por diversas substâncias, que dessa forma podem causar alergias.


Pt.2

Sem comentários: