>

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Frieiras| Reconhecer, prevenir e tratar


Comecei a pesquisar esta publicação a pedido de uma leitora. E por incrível que pareça, no dia seguinte apareceram-me as primeiras frieiras que alguma vez tive! Parece que o meu subconsciente levou esta publicação demasiado a sério...
Felizmente não durou muito... Mas temi que o meu dedo mindinho explodisse...

Embora seja uma publicação um bocadinho diferente daquilo que costumo fazer, a verdade é que não existe muita informação acerca das frieiras, que para algumas pessoas podem ser muito incomodativas e dolorosas...
Contudo, este problema também pode ser prevenido de formas muito simples :) Por isso, deixo-vos algumas dicas para lidarem com estas chatas da melhor maneira possível :)



Como se formam?
 
As frieiras resultam de uma resposta anormal dos vasos sanguíneos às variações de temperatura.

Nos dias mais frios, húmidos e ventosos, os vasos sanguíneos que irrigam as extremidades do nosso corpo (mãos, pés, orelhas...), tendem a contrair, de forma a manter a temperatura corporal. 

Isto faz com que estás zonas do corpo se tornem mais frias, é que por vezes possam até ficar dormentes. Acontece que quando estas zonas são reaquecidas, e sobretudo se isto acontece de forma muito rápida, dá-se uma boca dilatação destes vasos sanguíneos, que deixam extravasar algum líquido do seu interior. Este líquido por sua vez provoca algum inchaço local, e desencadeia uma resposta inflamatória, que é responsável pelo aparecimento desconforto associado às frieiras.

Como identificar?

As frieiras tendem a aparecer entre Novembro e Março, que em Portugal são os meses mais frios e húmidos, e podem afetar os dedos, nariz, olheiras, é em algumas pessoas também as nádegas e coxas.

A zona afetada fica inchada, vermelha ou violácea. Algumas pessoas podem desenvolver também bolhas e feridas. 

Normalmente as frieiras duram cerca de uma semaa, mas podem prolongar-se por mais tempo.

Este problema é mais frequente em mulheres jovens, sobretudo se já sofrem de Doença de Raynaud, e também em fumadores, uma vez que o tabaco é etremamente nocivo para a circulação sanguínea.

Como prevenir?

A melhor forma de evitar o aparecimento das frieiras é proteger diariamente a pele das zonas suscetíveis logo nos primeiros dias de frio. Se não houver um arrefecimento seguido de aquecimento brusco, as frieiras não aparecem! Por isso, está na altura de dar uso às luvas e gorros lá de casa :p

Por muito tentador que seja, é importante evitar aquecer as mãos e pés à lareira, ou lavá-los com água muito quente. Mais uma vez, não queremos grandes variações de temperatura nos locais mais suscetíveis...

Infelizmente, uma boa hidratação da pele não é suficiente para proteger a pele do aparecimento de frieiras. Assim, os cremes preventivos apenas reforçam a sua  função de barreira, mas não dispensam de maneira nenhuma os cuidados anteriores.

É possível tratar?

Não é fácil tratar as frieiras...
 
No entanto, nas farmácias existem preparações tópicas com ingredientes de ação refrescante, como a cânfora, que podem ajudar a aliviar a comichão e o ralor causados pelas frieiras, desde que não sejam aplicados na pele ferida. 
Por outro lado, quando este problema afeta significativamente o nosso dia-a-dia, também alguns anti-inflamatórios sujeitos a receita médica podem aliviar estes sintomas.

Por tudo isto, o mais importante é mesmo continuar a isolar aas zonas afetadas, de forma a reduzir um novo aparecimento do edema. Nem sempre é fácil, porque as frieiras podem dar alguma comichão... mas vale a pena tentar!

Sem comentários: