>

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Vitamina C

Tem o nome de ácido ascórbico, e uma panóplia de aplicações em cosmética, sendo muitas vezes o principal ingrediente ativo destes produtos. Embora seja de origem natural, a vitamina C não pode ser produzida pelo organismo humano mesmo sendo essencial para o funcionamento correto do de vários órgãos, incluindo a própria pele. Por isso, é necessário que seja obtida através da alimentação, ou aplicada à sua superfície através de produtos cosméticos.

Na manutenção da saúde da pele, a vitamina C tem duas funções de destaque:

  • Antioxidante
O ácido ascórbico tem uma boa capacidade antioxidante, sendo capaz de neutralizar os radicais livres gerados pelo próprio organismo, pela poluição ambiental ou pela exposição à radiação solar; que  por sua vez podem contribuir para o envelhecimento da pele danificando as suas proteínas, membranas e DNA. Para além disso, a vitamina C potencia a capacidade antioxidante de outras moléculas naturalmente presentes na pele ou em cosméticos, como a vitamina E e a ubiquinona.


  • Produção de colagénio
A vitamina C é essencial para a produção de colagénio pelos fibroblastos, uma vez que atua como co-fator numa das etapas da sua síntese. Adicionalmente, a vitamina C inibe a sua degradação, e estimulaaumento do número dos próprios fibroblastos. O colagénio é essencial para a renovação e manutenção da firmeza da pele.

Designações

O ácido ascórbico (também sob a forma de ascorbato de sódioé a forma mais eficaz da vitamina C. Contudo, esta molécula tem alguma dificuldade em penetrar a pele até às camadas mais profundas da epiderme (onde é ativa) a não ser que esteja incorporada em cosméticos mais ácidos do que o normal, que por sua vez se tornam irritantes para as peles mais sensíveis, ou que seja formulada em cosméticos anidros (não contendo água na sua composição, relativamente raros).

Para contornar este problema e permitir a penetração da vitamina C até à epiderme em produtos menos sensibilizantes, foram sintetizados alguns derivados desta molécula.
Assim, podem encontrar-se os seguintes compostos:
  • Ascorbilfosfato de sódio (Sodium ascorbyl phosphate, penetra a um pH menos ácido)
  • Ascorbilfosfato de magnésio (Magnesium ascorbyl phosphate, penetra a um pH menos ácido)
  • Palmitato de ascorbilo (Ascorbyl palmitate)
  • Tetraisopalmitato de ascorbilo (Ascorbyl tetraisopalmitate, penetra a um pH menos ácido)
  • Glucósido de ascorbilo (Ascorbyl glucoside)


Para melhorar a penetração do ácido ascórbico, os fabricantes têm optado por outras estratégias, como por exemplo a encapsulação destas moléculas, ou incorporação em microemulsões

Utilização
  • Cosmética
Quando se procura um cosmético contendo a vitamina C como um dos ingredientes ativos principais, a embalagem deve igualmente ser tida em conta. Isto porque o ácido ascórbico se degrada muito facilmente na presença de oxigénio ou em contacto com a luz, tornando-o inativo no cosmético em questão. 

Assim, devem ser evitados produtos acondicionados em boiões ou frascos que contactem com o ar, bem como embalagens transparentes, que permitam que a luz as atravesse. 

Em alternativa, existem produtos em bisnaga ou frasco doseador, opacos ou de vidro escuro (cor âmbar), e até em unidose. Este tipo de embalagem garante a estabilidade da vitamina C por um maior período de tempo.



    • Fotoproteção
A exposição da pele à radiação solar resulta na produção de radicais livres, que por um lado lesam a pele e aceleram o seu envelhecimento, e por outro reduzem as suas defesas antioxidantes. Por isso, torna-se importante repôr proteção antioxidante da pele, e os cosméticos são meios eficazes de o fazer.

Vários estudos comprovam que a aplicação de produtos contendo vitamina C antes da exposição solar reduzem significativamente o dano provocado pela radiação, reduzindo o eritema solar (vermelhidão) e atrasando o fotoenvelhecimento.

No entanto, só os protetores solares é que evitam os efeitos nocivos do sol, por isso os produtos contendo vitamina C não os substituem :)

    • Anti-envelhecimento
Neste caso, a vitamina C pode atuar de duas formas distintas.

Por um lado, pode atuar na prevenção do envelhecimento, através das suas propriedades antioxidantes impedem que os radicais livres das diferentes origens provoquem lesões nas células da pele e destruam o colagéneo e a elastina que lhe conferem a firmeza e elasticidade.

Por outro lado, a vitamina C pode ser útil para a atenuação das rugas, uma vez que tem ação na estimulação da síntese do colagénio, manutenção da integridade desta molécula e na estimulação da proliferação fibroblastos.

    • Anti-manchas
A vitamina C tem também a capacidade de inibir a produção de melanina e reduzir a melanina oxidada (mais escura), podendo se utilizada para a redução dos vários tipos de manchas de pigmentação (melasma, lentigos, hiperpigmentação pós-inflamatória).

    • Redução da inflamação
Esta propriedade da vitamina C pode ser útil com vários objetivos

Pode ajudar na prevenção do eritema solar, em adição à ação antioxidante.

Por também ser útil em produtos anti-acne, reduzindo a inflamação que está na origem do aparecimento das borbulhas, também como antioxidante, reduzindo a oxidação do sebo que resulta na formação de pontos negros.
    • Proteção de outros ingredientes
Em alguns casos, e sobretudo quando está presente em baixas concentrações, a vitamina C pode ser utilizada para evitar a oxidação de outros ingredientes ativos, e assim assegurar a eficácia do produto final.


  • Suplementos alimentares
Os suplementos de vitamina C podem ter diversos objetivos, sendo que um deles poderá ser a sua deposição na epiderme da pele. No entanto, os vários estudos conduzidos a este respeito mostram que a adição de um suplemento de vitamina C à alimentação não aumenta os seus níveis na  superfície cutânea, uma vez que o organismo não tem capacidade para assimilar esse excesso de nutriente face à dieta.

Como escolher cosméticos?

Se pretende um cosmético tendo vitamina C como principal ingrediente ativo, deverá ter um conta as seguintes características:
  • Embalagem apropriada (descrito acima na secção Utilização- Cosmética)
  • A sua pele não é particularmente sensível, prefira produtos que contenham ácido ascórbico na lista de ingredientes, e numa concentração eficaz. A vitamina C tem uma aborção máxima numa concentração de 20%. No entanto, se sentir que lhe causa irritação, poderá optar por concentrações entre 10-15%, que também são eficazes.
  • Se tiver que optar por derivados do ácido ascórbico, prefira aqueles que se encontrem em maior concentração na lista de ingredientes.
(Para saber como estimar a concentração relativa de ingredientes clique aqui)
  • Peça amostras antes de testar o produto. Se tiver dificuldade de as encontrar na farmácia ou supermercado, contacte o fabricante através da internet. Assim evitará desperdiçar dinheiro caso o produto lhe cause irritação.

Sem comentários: