>

domingo, 4 de março de 2018

Browgraphy | a história das minhas sobrancelhas e a experiência Benefit Brow Bar


Às vezes dou por mim a vaguear pelo instagram, como se  não houvesse nada de mais relevante para fazer. Depois de terminar as tarefas mais custosas tenho aquele sentimento de que "mereço" o meu momento inútil, de quase apatia, e que geralmente se resume a fazer scroll down pelas redes sociais.


A dada altura, deparei-me com uma publicidade da Maybelline a uma série de canetas iluminadoras de sobrancelha. Ora, eu tenho um blog sobre cosmética, um armário a rebentar pelas costuras de produtos que (ainda) não uso; e por isso não me atrevo sequer a discorrer acerca do potencial de inutilidade destes produtos. Simplesmente não tenho moral para isso. Mas ainda assim, posso dizer que fiquei embasbacada com tanta caneta iluminadora, dedicada unicamente "àquilo".

Na verdade, já faz um par de anos desde que as sobrancelhas se tornaram "in", e a partir daí gerou-se um verdadeiro culto à volta deste aglomerado de pêlo que emoldura os nossos olhos. Não é que seja a primeira vez que isto acontece na história da moda. Mas de facto, a febre nunca foi tão grande!

Acho que ganhei uma perfeita noção deste fenómeno há cerca de um ano atrás, quando me deparei com a (então nova) gama da Benefit, e com esta maravilhosa campanha publicitária.



Mas a minha admiração tem um motivo. Pessoalmente, a minha relação com as sobrancelhas nem sempre foi a melhor.

Ainda ignorando a existência das ditas cujas

Acho que de alguma forma ignorei a sua existência até aos meus 17 anos. Elas sempre estiveram lá, mas até aí nunca olhei para elas com olhos de ver... Até ao dia em que percebo que sou provavelmente a única rapariga da turma que não as depila. E céus... se precisava! Ao contrário da maioria das pessoas, as minhas sobrancelhas são mais espessas nos cantos externos do que no canto interno, o que faz com que fiquem, no mínimo... esquisitas (e não, eu não me apercebi disso até ser quase maior de idade...).

Esta é provavelmente uma das últimas fotos "au naturel".
Tinha acabado de me registar no facebook, já fazia umas coisas com o eyeliner... Mas claramente ainda não me tinha caído a ficha.
A primeira vez que depilei as sobrancelhas, escolhi fazê-lo numa esteticista. Tinha ganho noção da importância delas, não ia agora fazer asneira e ficar ainda pior Pedi-lhe para não retirar muito pêlo, apenas o excesso. No final, lembro-me perfeitamente de me olhar ao espelho e achar que fiquei com cara de má. Felizmente, habituei-me rápido. E claramente, foi a melhor coisa que podia ter feito.

Primeiro look com a coisa domesticada
Nos anos seguintes continuei a aparar os excessos, ora na esteticista, ora sozinha. Até ao dia em que decidi fazer franja.

 Uma franja que por si só é uma gigante sobrancelha, e tapa qualquer excesso de pilosidade que possa existir nessa zona.
E a partir daí a coisa descambou outra vez. Voltei a ignorar a minha apetência natural para ter uma sobrancelha invertida. E confesso que nunca mais fiz caso disso, mesmo quando o meu cabeleireiro cortava a franja um bocadinho de mais...

E esta fase durou até pintar o cabelo de ruivo, e querer usá-lo puxado para trás. Já não as podia ignorar, contrastavam demais. Então decidi depilá-las, e mais recentemente pintá-las. Até comprei um lápis; de lábios como é claro, para dar aquele fundo alaranjado.


Acho que hoje posso dizer que vivo em paz com as minhas sobrancelhas. Quando me descuido por algum tempo tiro o excesso com cera, mas no dia-a-dia a minha aliada é a pinça. E nos dias em que a deixo mais "à mostra", passo também um pouco de lápis laranja para lhes dar um fundo mais natural :)

Mais recentemente fui ao Benefit Brow Bar da Sephora do Norteshopping, e tive toda uma experiência "sobrancelhocêntrica" com a Carla Cunha.


Este serviço da Benefit inclui coloração e depilação das sobrancelhas; a par do buço se também for essa a vossa opção.

A Carla começou pela coloração, que se limita ao pêlo; e pode durar até 4 semanas se não utilizarem desmaquilhantes bifásicos durante esse período. Este processo é ideal se o vosso pêlo for muito fino, se não tiverem muito pêlo; ou simplesmente se gostam de uma sobrancelha mais "dramática". Não será a melhor opção para quem tem sobrancelhas pequenas, porque nesse caso simplesmente não há pêlo suficiente para pintar.



Enquanto a coloração se desenvolvia passámos à depilação do buço; que no meu caso também dava uma bela história... Mas adiante: a cera da Benefit distingue-se das ceras depilatórias comuns por não ter resinas e por conter óxido de zinco na sua composição, o que se traduzirá numa menor irritação após a depilação. A Carla explicou-me também que no Brow Bar só passam a cera uma vez; e que o pêlo que não sair deve ser retirado com a pinça. Achei isto muito interessante porque sou bastante sensível à cera; e tendo em conta que estamos a falar de áreas pequenas prefiro a pinça a um bigode vermelho, ainda que doa mais.


Terminada a depilação do buço passámos então às sobrancelhas, mas não sem antes desenhar o Brow Map;que determina de onde deve partir a sobrancelha, onde começa o arco, e até onde deve ir.




A Carla optou por deixar a sobrancelha relativamente grossa, mas eliminou todos os pêlos que estavam a mais. O arco ficou bastante mais desenhado; e com a coloração as sobrancelhas ficaram ainda mais marcadas!


Gostei muito deste serviço talvez porque ao estar sentada e a observar todos os utensílios senti-me mais "incluída" no processo.

O custo total do Brow Bar é de € 36 (puxado, eu sei!); mas se quiserem e puderem investir num serviço verdadeiramente personalizado e de ótima qualidade; aconselho vivamente!


Sem comentários: